Escola Secundária D. Manuel I

No dia 19 de Fevereiro de 1949, foi criada na nossa cidade uma nova escola, sob o nome de Escola Industrial e Comercial de Beja, tendo funcionado inicialmente no actual edifício da GNR.

A Escola Industrial e Comercial de Beja, passou para o presente edifício no ano de 1960-61.

Viria a chamar-se, posteriormente, Escola Secundária nº 2, tendo adoptado, por necessidade de ter uma designação própria, o nome de Escola Secundária D. Manuel I. Este nome foi escolhido pelos alunos e professores de então pela forte ligação desta figura histórica com a cidade e o ensino.

Escola Secundária Com 3º Ciclo D. Manuel I (desde 2004-2005)

Desde 2013 constitui o Agrupamento de Escolas nº 2 de Beja juntamente com o antigo Agrupamento de Escolas de Mário Beirão.

Relativamente ao patrono, o rei D. Manuel I, a sua escolha ocorreu no final dos anos 90, como reconhecimento ao rei que também foi duque de Beja.

Vista aérea da Escola D. Manuel I

Vista aérea da Escola D. Manuel I

Os primeiros Duques de Beja, Infantes de Portugal, vêm residir para a cidade alentejana, onde fundam o Convento de Nossa Senhora da Conceição. Junto a este edifício surge o Palácio dos Duques de Beja (Palácio dos Infantes), que terá sido um bom exemplo da arquitectura mudéjar. Como reflexo deste novo impulso, à sua volta iriam surgir novos conventos e palácios que marcariam a diferença entre a Beja velha e destruída e um novo espaço que surgia. O momento áureo deu-se, sem dúvida, com a ascensão de D. Manuel I a rei. Tratando-se do segundo duque de Beja, desenvolveu um forte processo de nobilitação desta cidade. Assiste-se à reabertura de um novo espaço, a Praça D. Manuel I, para onde se deslocam os Paços do Concelho, que haviam funcionado junto à Igreja de Santa Maria e promove-se também a construção do primeiro Convento-Hospital de Nossa Senhora da Piedade ou da Misericórdia no lugar da antiga Gafaria. Este trabalho de recuperação teria continuidade com o Infante D. Luís, duque de Beja, que foi o patrono da construção da Igreja da Misericórdia, cuja loggia constitui um dos expoentes máximos da arquitectura do Renascimento em Portugal. (Informação da Câmara Municipal de Beja)

Patrono da Escola, o rei D. Manuel I

Patrono da Escola, o rei D. Manuel I

A Tradição num Símbolo

1. Torre de Menagem do Castelo de Beja em ouro e preto:
A torre de menagem é o ex-libris da cidade D. Dinis edifica a magnifica Torre de Menagem que ainda hoje se ergue sobre a planície e marca a imagem da cidade.

2. Roda dentada negra:
Simboliza a tecnologia, a vertente da formação industrial do tempo da fundação.

3. Elmo do Deus Mercúrio em prata:
Simboliza o comércio, área de formação também ela ligada à fundação da escola.

As Cores da escola

Prata, ouro, sobre azul são as cores e simbolizam respectivamente a prata, a luz, o ouro, a absoluta perfeição e o azul, a profundidade, a pureza e a transparência, que em conjunto traduzem os princípios da construção de um sólido conhecimento.

Antiga bandeira da ESDMI

Antiga bandeira da ESDMI